Primeiros certificados do Curso de Assistente Administrativo são entregues no Complexo Penitenciário Nelson Hungria
Formatura ocorreu no auditório da unidade prisional, com a presença dos familiares dos 21 alunos qualificados profissionalmente
Publicado: 08/06/2017 13:59 | Atualizado: 20/06/2017 19:51
Carlos Alberto/Imprensa MG Carlos Alberto/Imprensa MG

Em cerimônia realizada no auditório do Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH), 21 presos custodiados pela Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap) receberam o certificado de conclusão do curso técnico de Assistente Administrativo.

Os cursos de Assistente Administrativo e o de Programador Web foram ministrados em sete unidades prisionais por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes) e da Secretaria de Estado de Administração Prisional (Seap), subsidiados pelo Programa Nacional de Acesso Técnico e Emprego (Pronatec).

Na oportunidade, o subsecretário de Ensino Superior da Sedectes, Márcio Rosa Portes, falou dos desafios enfrentados para programar os cursos nas unidades prisionais e da importância dos educadores para transformar a realidade dos detentos.

“Para chegarmos a um resultado como esse, é importante frisar que ninguém trabalhou sozinho e, somente com a educação, vamos gerar o conhecimento que traz a verdadeira liberdade”, reforçou.

O superintendente de Trabalho e Ensino da Seap, Guilherme Lima, se disse satisfeito com os primeiros resultados do trabalho conjunto das secretarias. “Estamos felizes com o alto índice de adesão dos alunos e ao objetivo de profissionalização concreto dos quais os cursos são dotados”, destacou.

Para o diretor-geral da Complexo Penitenciário Nelson Hungria (CPNH), Willian de Abrête Pinto, os custodiados estão tendo uma oportunidade real de se capacitar, o que contribui efetivamente para a segurança da unidade. “A educação como forma de humanização retira os presos do ócio e cria neles perspectivas positivas para reassumirem o controle de suas vidas profissionais, após o cumprimento da pena”, pontuou;

Emoção

A formatura contou com a presença dos familiares dos alunos, que se emocionaram com a dedicação de seus parentes rumo à reintegração na sociedade.

A esposa de um dos formandos, Elenilda Donato Souza, presente na cerimônia no último dia 6 de junho, manifestou sua satisfação em presenciar a conquista do companheiro. “Eu pude perceber o quanto o curso o ajudou a ter esperança quanto ao futuro, e como ele está mais confiante”, afirmou.

O orador da turma, Luiz Antônio Julião, de 33 anos, relatou que as técnicas de administração aprendidas colaboraram para que ele mudasse sua maneira de pensar e de organizar a vida. “Após cumprir minha pena, pretendo trabalhar em um negócio próprio e tenho a certeza de que o aprendizado vai ser de grande utilidade”, enfatizou.

Na cerimônia, entre os representantes das instituições, também estiveram presentes: a superintendente de Ensino Tecnológico da Sedectes, Cristiane Fátima do Monte Saldanha; a defensora pública, Maria Auxiliadora Viana Pinto; a diretora da escola estadual que funciona dentro da penitenciária, Valdicéia dos Santos Silva Pavioni; e o professor de Administração, Erônides Mendes Bastos Junior.

Os cursos

Os cursos tiveram carga horária de 200 horas/aula e foram realizados no período de fevereiro a junho deste ano, dentro das escolas do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem; do Presídio Feminino José Abranches Gonçalves, do Presídio Antônio Dutra Ladeira e nas três unidades do Complexo Penitenciário Público Privado, em Ribeirão das Neves; além do Complexo Penitenciário Feminino Estevão Pinto, em Belo Horizonte.

O curso de auxiliar administrativo tem por objetivo formar profissionais com capacidade de prestar assistência na área administrativa de uma empresa, amparando em atividades rotineiras, como o controle de gestão financeira, organização de arquivos, gerência de informações, revisão de documentos, entre outras atividades.

Já a formação de programação web tem por objetivo tornar o aluno apto a planejar, desenvolver e publicar websites, considerando princípios da arquitetura da informação, de modo a garantir formas eficientes de acesso à navegação pelo usuário.