Universidades estaduais mineiras têm participação inédita no Biobased Battle
Professora da UEMG leva primeiro e terceiro lugar na competição internacional que busca soluções para a indústria
Publicado: 27/10/2017 17:18 | Atualizado: 31/10/2017 16:06
ACS ACS

A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), localizada no campus da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), recebeu entre os dias 23 e 27 de outubro, a terceira edição da Biobased Battle. A competição acadêmica internacional acontece entre estudantes universitários brasileiros e holandeses. A proposta é desenvolver soluções para tratar e reaproveitar efluentes na indústria. O tema deste ano é o reaproveitamento do resíduo da produção de cachaça, o vinhoto.

O Biobased Battle 2017 trouxe a participação inédita de alunos e professores das universidades estaduais mineiras. Apesar de estrearem na competição, a professora Ozânia Ferreira, da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), campus Frutal, saiu vencedora, levando o primeiro e terceiro lugar na busca por soluções. “Podemos dividir conhecimento e acompanhar o raciocínio de outras instituições de ensino superior. Temos visibilidade para a comunidade internacional, criando projetos com outros professores. Estou feliz com o resultado alcançado”, destacou Ozânia, que trabalha com estudo de cana de açúcar há 10 anos.

O empenho para que os alunos da UEMG e da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) participassem da competição foi uma parceria firmada entre a Subsecretaria de Ensino Superior e a Assessoria de Parcerias Nacionais e Internacionais (APNI) da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia e Ensino Superior (Sedectes). “Os alunos da UEMG e Unimontes têm a oportunidade ímpar de participar de uma competição internacional, aplicando todos os conhecimentos que aprendem em sala de aula. Podem, de forma colaborativa, em equipe, diante de uma situação real, apresentar soluções criativas para o setor”, ressaltou o subsecretário Márcio Portes.

A temática proposta pela competição é um assunto que hoje preocupa a sociedade, que precisa de soluções sustentáveis para a cadeia produtiva da cana de açúcar. Apesar da Holanda não ser produtora da cana, o país é grande produtor de destilados. Emanuele Alves de Souza, estudante de Zootecnia da Unimontes, está satisfeita com a participação: “É muito gratificante a oportunidade. A troca de conhecimento está incrível”, disse.

Apesar do curso não estar diretamente ligado ao processo da competição, o estudante Leopoldo Ferreira de Paula, de Sistema de Informação da UEMG, fala que pode contribuir muito. “Meu curso estuda soluções. Quero contribuir para achar a raiz do problema e propor resultados imediatos, além de praticar o inglês”, contou animado.